Shanay Freire’s Blog



Hospital

Os corredores são frios e sombrios. As pessoas te olham sem se importar com a agonia e a dor nos seus olhos. A cadeira parece feita de espinhos. E você se levanta. E anda. E senta. Saem mil pessoas de dentro do centro cirúrgico, mas nenhuma respode suas perguntas. E você se levanta. E anda. E senta outra vez. E você olha no relógio. São 11:46.

Sem notícias, a agonia aumenta e seu coração dispara. Os olhos se enchem de lágrimas. Mas você é forte. Vai ao banheiro, lava o rosto com as mãos trêmulas. Volta. Uma eternidade depois, você olha novamente o relógio. São 11:48.

E essa hora que não passa? E as notícias que não vêm? O coração explode. O chão se abre à sua frente. Você pega o celular e vai passando pela sua lista de contatos. Procura alguém pra quem possa ligar, ouvir uma voz amiga. E agora são 11:49.

De uns poucos quatro ou cinco contatos provavelmente disponíveis, você disca o primeiro. Ocupado. Tenta outra vez. Ocupado. Disca o segundo. Primeiro toque. Você respira fundo com um leve toque esperançoso. A mente vai longe. Segundo toque. Terceiro. Outros três toques e você ouve a mensagem da caixa postal. E continua tentando, sem opção. A única pessoa com quem consegue falar é sua irmã, distante, mais agoniada ainda. Aos prantos.

Seus olhos, agora fixos na porta do centro cirúrgico, desfocam e embaçam a vista. Meio dia. Completam-se agora cinco horas de cirurgia. Cinco horas com o coração na mão. E a porta se abre.

Vem em sua direção, numa caminhada como que sem fim, um rosto familiar. Você aperta os olhos, e reconheçe. É um dos médicos da equipe. Com o corpo e a alma tremendo, resgatando forças de tão fundo que não sabe de onde, você balbucia “Doutor… minha mãe?”. E nada mais.

O instante entre a pergunta incompleta e a resposta parece durar o infinito. E você, com o corpo suando, com as mãos geladas, o rosto pálido como nunca antes na vida, ouve a voz bem distante: “Está estável. A cirurgia foi bem sucedida.”

E a sala de espera, toda florida, lhe traz a paz de um beijo de criança. Você se senta na cadeira feita de nuvem, com um sorriso suave nos lábios. Está estável. A cirurgia foi bem sucedida.


Trackbacks & Pingbacks

Comments

  1. * Gustavo Machado says:

    Q bom…😀
    Melhoras p/ ela
    :***

    | Reply Posted 7 years, 8 months ago
    • * Shanay says:

      Valeu…😉
      Tá melhorando.

      | Reply Posted 7 years, 8 months ago
  2. * Julie says:

    ah, desculpa, nao sei o que comentar! então vim por aqui só pra te cobrar um post novo :*
    hehehe

    | Reply Posted 7 years, 8 months ago


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: