Shanay Freire’s Blog



Amar ao Próximo

E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.” (Mateus 22:37-39)

Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo. Eis dois grandes desafios para a humanidade. Dois desafios certamente interligados tão intimamente que acredito não ser possível realizar verdadeiramente um sem o outro. Como, pois, demonstrar nosso amor a Deus se fizermos ou desejarmos o mal ao próximo? E como amar o próximo sem haver uma conexão com Deus, o próprio Amor? Antes disso, porém, é preciso compreender o que significa amar a si mesmo e quem é o próximo para saber como desenvolver este amor em nós.

Amar a si mesmo certamente não significa simplesmente olhar-se no espelho e se achar atraente e irresistível, reconhecer suas qualidades e se vangloriar delas ou de seus feitos e conquistas. Chamo aquilo de vaidade e orgulho, dois venenos para a raça humana. Compreendo que amar verdadeiramente a si mesmo envolve, em primeiro lugar, o reconhecimento e a gratidão a Deus pela própria vida. E é aqui que temos o ponto de interseção com o primeiro mandamento. Reconhecendo o valor desta dádiva divina que é a vida que nos é dada, podemos amar esta vida como nosso bem mais valioso. A partir daqui, fazemos um trabalho de discernir o que é bom para nós e o que não é. Devemos, então, evitar o que quer que prejudique nosso estado físico, mental, emocional, sentimental ou espiritual. Esse é um cuidado necessário a quem realmente ama a si mesmo.

Exemplificando: sabendo que determinado tipo de comida ou bebida faz mal ao organismo, alguém que se ama não irá ingeri-los; consciente de que a mentira, por menor que seja, gera uma dívida espiritual a ser paga mais adiante na lei da semeadura em que colhemos o que plantamos, quem ama a si não mentirá. Cito aqui apenas dois ínfimos exemplos para que tenhamos noção de como ainda estamos distantes de amar a nós mesmo se ainda não conseguirmos nem evitar essas coisas totalmente.

A partir desta compreensão do que é o amor a si, fica um pouco mais fácil saber como amar o próximo. E quem é ele, afinal? Toda a humanidade. Isso mesmo, qualquer pessoa que entrar em nosso caminho. Seja de maneira mais evidente como familiares, amigos, colegas de trabalho, ou de uma forma menos aparente como um estranho na rua que pisou no seu pé ao passar descuidadamente. Se fosse você a, sem querer, pisar no pé de alguém na rua, gostaria de receber um olhar hostil e um xingamento? Certamente que não. Então, por que fazê-lo ao nosso próximo? Se não gostamos de ser enganados, por que enganar? Se não queremos que façam fofoca de nossas vidas, por que perder um tempo valioso, em que poderíamos estar cuidando de nós, falando mal de determinada característica ou feito de certa pessoa?

Digo isto, mas longe de mim querer, com essas palavras, me colocar no lugar de já ter o grau espiritual de evitar todas as coisas que não são boas a mim e aos outros. Seria hipócrita se o quisesse. Sou ser humana, pecadora ainda, na minha peleja para alcançar o amor mais puro e verdadeiro um dia. Este grau só pode ser adquirido na prática do dia a dia. É passo a passo em nossa caminhada que podemos nos aproximar deste objetivo. Não basta saber a teoria.

E cada dia que se inicia é uma nova oportunidade de aprendermos a amar, neste desenrolar da vida, nestas experiências e chances que recebemos de nos desenvolver. Como diz a letra da banda Falamansa, “hoje é o dia perfeito pra fazer tudo direito”. É realmente no hoje que podemos fazer o que estiver ao nosso alcance para galgar o Amor. Seja ele em cuidados a nós mesmos, ao próximo, à natureza criada por Deus. Independe da religião e crenças de cada um, acredito no Amor Universal, o próprio Deus. Seja lá como se chame para cada um, é uma força que está dentro de nós, basta sabermos como encontra-lo. Que possamos todos nós, um dia, amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos em toda a plenitude destes mandamentos.

(Shanay Berçot)


Trackbacks & Pingbacks

Comments

  1. * Juliana Carvalho says:

    Texto muito bonito e bom pra se refletir em diversos pontos. Acredito que estes mandamentos resumem todos os outros. Os outros são a explicação destes primeiros, pois quem ama o próximo, não cobiça, não mente, não desejará o que é do próximo, etc. Estamos nessa peleja cada dia pra conseguirmos caminhar cada vez mais pra perto do Amor maior🙂

    | Reply Posted 2 years, 10 months ago
    • * Shanay says:

      É isso aí, Juju. Grata pelo comentário! =*

      | Reply Posted 2 years, 10 months ago
  2. * Amanda Bastos says:

    Agora que consegui ler. Muito bom, Shanay!. Você sempre escrevendo muito bem, e sempre me fazendo refletir.
    Bom dia!

    | Reply Posted 2 years, 10 months ago
  3. * Sabrina Bonazoni says:

    Gostei da oportunidade de refletir sobre isso! Essas suas palavras me fez lembrar de uma fase na qual eu passei logo depois que meu irmãozinho nasceu. Todo o cuidado que nós tínhamos, e que continuamos tendo, com uma nova vida ao nosso meio. Eu comecei a ver as pessoas de um jeito diferente, fui percebendo como uma pessoa tem um grande valor. É amor nos cercando. Mesmo eu já sabendo disso, ficou muito mais claro perceber como as pessoas tem uma mãe que se importa com elas, tem amigos que querem o bem e isso tudo já é motivo para não querermos fazer o mal ao outro.. Filosofei aqui! Beijinhos, lindas palavras a sua Shanay!

    | Reply Posted 2 years, 10 months ago


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: